22.10.21

Naomi Shihab Nye


The Art of Disappearing


When they say Don't I know you?

say no.

When they invite you to the party remember what parties are like before answering. Someone telling you in a loud voice they once wrote a poem. Greasy sausage balls on a paper plate. Then reply. If they say We should get together say why? It's not that you don't love them anymore. You're trying to remember something too important to forget. Trees. The monastery bell at twilight. Tell them you have a new project. It will never be finished. When someone recognizes you in a grocery store nod briefly and become a cabbage. When someone you haven't seen in ten years appears at the door, don't start singing him all your new songs. You will never catch up. Walk around feeling like a leaf. Know you could tumble any second. Then decide what to do with your time.



7.8.21

Hugo Lima


Acabo de receber o quarto livro publicado do querido poeta e amigo mineiro Hugo Lima, O corpo sublime, pela editora Urutau. Já li todinho e recomendo. Hugo Lima é poeta, performer, educador, curador e especialista em artes plásticas e contemporaneidade. Sua poesia é visceral e inconformada. Um corpo no mundo. E suas pesquisas giram em torno da produção de artistas brasileiros contemporâneos -- com publicações recentes sobre as obras de Letícia Parente, Edith Derdyk e Maira Parula -- e das intersecções entre corpo, linguagem e novas mídias. Boa sorte, Hugo. Agradeço pela força.


 

28.5.21

Saúl Dias


Ainda


Eu não quero esquecer os dias que viveram.

Por eles escrevi estes versos mofinos;
escrevi-os à tarde ouvindo rir meninos,
meninos loiro-sóis que bem cedo morreram.

Eu não quero esquecer os dias que enumeram
desejos e prazeres, rezas e desatinos;
e, em loucuras ou entoando hinos,
lá na Curva da Estrada, azuis, desapareceram.

Eu não quero esquecer dos dias mais felizes
a bênção branca-e-astral, lá das Alturas vinda,
nem tampouco o travor das horas infelizes.

Eu não quero esquecer… Quero viver ainda
o tempo que secou, mas que deixou raízes,
e em verde volverá, e florirá ainda…