18.5.11

A poesia em pânico*


ágios agua dos mares alimenta alma amar comigo amei amiga angustia anjos aponto atridas atriz bela Berenice braços branca cabeleira cabeleira de Berenice cançado candelabros cerebro céu e a terra circula comunidade consciencia constelações coração corpo creação Cristina demonio desdobrando Deus A Materia diante Doce mistério doce o pensamento duplo e o desespero Eros Cristus esfinge espera espirito esposo estandartes estrela Venus eternidade existe faço esmola fascina febre filhos fisico força do amor fórma germina gosto gramofone grito homem homens inferno instante irmãos Kyrie levem-me mãi maquilhagem morrer mulher mulher-cometa mundo musica nascer naturesa novos amores olfato olhar olhos ouvidos palavra de consolo pecado pedra pensamento da morte poema poesia poetas preciso principio propria prostituta quero te abraçar quisera Regina responsavel rublo sangue Satan sentidos sete pecados sinão sinfonia sofro tambem tenho pena ternura terrivel transhumana tunica URSS vejo vestidos violoncelos Vitoria vivo volupia vós tres



C
* como o google.books resume o livro de Murilo Mendes.




Para onde vão os trens meu pai?
Para Mahal, Tamí, para Camirí, espaços
no mapa, e depois o pai ria: também
pra lugar algum meu filho, tu podes
ir e ainda que se mova o trem
tu não te moves de ti.


Hilda Hilst
-

8.5.11

HQ

Photobucket


Monte Hale, "No território dos índios", história originariamente publicada
em janeiro de 1967 e republicada em junho de 1987 pela EBAL.
(Foto de arquivo pessoal.)


-

6.5.11




Moving from left to left, the light
is heavy on the Dome, and coarse.
One small lunette turns it aside
and blankly stares off to the side
like a big white old wall-eyed horse.

On the east steps the Air Force Band
in uniforms of Air Force blue
is playing hard and loud, but--queer--
the music doesn't quite come through.

It comes in snatches, dim then keen,
then mute, and yet there is no breeze.
The giant trees stand in between.
I think the trees must intervene,

catching the music in their leaves
like gold-dust, till each big leaf sags.
Unceasingly the little flags
feed their limp stripes into the air,
and the band's efforts vanish there.

Great shades, edge over,
give the music room.
The gathered brasses want to go
boom-boom.


------
Elizabeth Bishop, "View of the Capitol from the Library of Congress". Poema de subtexto antibélico escrito em novembro de 1950 e enviado a amigos por correspondência com a intenção de ser um mero cartão-postal. Só seria publicado cinco anos depois, quando Bishop, talvez ingenuamente, notou pela primeira vez seu "cunho subversivo".

-