18.9.06

estética dá vontade de comer


me muero por guarânias paraguaias
versos chacos de amor e morte
corpos afundados até a alma
saias descendo de cavalos
possíveis para as massas
possíveis para as mamas
gertrude stein é manha
galinha preta de encruzilhada
descarnada
sophisticated
estética carrancuda
dos zé coiós de rayban
ecstasy fossilizado
porque se o rosa é maior do que a rosa
asmática de repetição
pra quê manadas de bishops no curral do bom-letrismo
macacas do aibici, a poesia não é de ninguém
só armadilha de passarinho
poetas enterrados vivos, rebolem-se
mastiguem vidro
que essa anemia tem cura

no pound final.


----------