30.4.06


S.O.S.
não posso me demorar aqui. tenho de ficar na escuta. desde as 2 e 25 da manhã recebo sinais pela frequência do radioamador. eu estava lendo um Graciliano Ramos e corujando pelo Deltão, quer dizer, só na escuta do rádio, ouvindo as conversas, o que qualquer radioamador costuma fazer. o sono já começava a me dominar, quando o receptor ficou mudo e depois pipocou sem parar. meu receptor é sensível mas aquele sinal era estranho. talvez fosse um DX, pensei, um contato de longa distância. mas não. chiava e eu ouvia vozes numa língua estranha. informei minha identificação e do outro lado nada. fiquei esperando. alguém em perigo tentando um SOS? comecei a tremer. as vozes ficavam mais claras em meio à estática. apliquei toda a potência, eu já não seguia mais as regras. "Weeerback...", acho que ouvi. mas que palhaçada, deve ser trote. sons animalescos estouraram no receptor. não sei se isso costuma acontecer com outros radioamadores mas foi o suficiente para me deixar apavorada. eles queriam se comunicar comigo. alienígenas, veio num estalo em minha mente. só pode ser. mas por que pelo rádio? por que não falam com a Nasa, lá tem gente muito mais apetrechada do que eu, aqui neste meio do mato sozinha. lá fora um silêncio total. aqui dentro gritos e gritos. só isso. ninguém mais entra na frequência. perdi o sono completamente. até agora. eu nem devia estar contando isso aqui pra vocês. eles podem ficar nervosos e me punir. uma nave pode baixar por aqui e me carregar para sempre. continuo na escuta, nem vou almoçar. fome pra quê? não, eles não devem ser como na foto, seria cômico demais. talvez tenham a minha cara. a sua. só pra me enganar. como se fosse um vizinho. um parente. um amigo. mas eu sei que eles não são daqui, não com essas vozes, e podem me matar. não me digam que estou exagerando, o receptor continua estalando e gritando cada vez mais alto aqui do meu lado. não entendo mais o que dizem. só que estão de volta. estão de volta. e vocês não vão querer que eu fique aqui de conversa, perdendo tempo, me descuidando. mas eu tinha de falar isso com alguém. com vocês. eu vou continuar tentando me comunicar com estes monstros. esta coisa. se eu sumir, vocês já sabem o que aconteceu. tenho de ir agora. me desejem boa sorte.


-----