6.3.06

O libertino de qualidade





Gosto muito de foder. Mas como o bom Deus não quis que conhecêssemos o moto-perpétuo, uma hora temos que parar, pois este jogo cansa mais do que aborrece. Ora, minha duquesa só tinha um jargão, sempre o mesmo, e como eu tinha abaixado seu fogo, ela não era mais do que um diminuto ser rasteiro e monótono. Como adoro ver sair de uma boca tão bela estas pequenas coisas que uma mulher embriagada de volúpia torna tão preciosas! Como uma palavra dita no bom momento faz aumentar o preço de uma carícia e a torna mais emocionante! Eliminem-se os prelúdios do gozo e as palavras mágicas que, fazendo sair do êxtase, ajudam muitas vezes a nele mergulhar de novo... o tédio boceja conosco no seio de nossas belas; o amor foge, o enxame de seus prazeres bate asas, e dorme-se para nunca mais se acordar.


Mirabeau, em Minha conversão ou o libertino de qualidade, 1783.

-----