8.2.06




O inverno na Rutênia.
Casas baixas tomadas pela neve.
Na gaveta em Casbah
guardo meus postais de dias frios.
Atrás da casa. Atrás do beco.
Uma febre de três semanas.
Pelo mar. Pelos mortos.
Nada mais.
Fecho os olhos e meu corpo
é uma sorveteria.
No seu bairro.
Você, do outro lado do vidro.
Em pedaços.
Pelo menos já faz tempo.
Aqui seria depois.


------