19.10.05

Image hosted by Photobucket.com


"Se Flaubert pôde ser tudo, eu também posso ser", disse a escritora protéica ao ser contemplada esta semana com o prêmio Príncipe de Astúrias. Seu romance Vozes do deserto, segundo ela uma "releitura" de As mil e uma noites onde sua Sherazade dispensa o califa, também abocanhou o Jabuti 2005. Ainda segundo nossa escritora "homem, animal e vegetal", o prêmio espanhol é uma homenagem aos seus "ancestrais". Bem fez o UOL que classificou a notícia na categoria "Diversão", inconscientemente quero crer. Leia a pérola completa aqui. Eu sabia que o dia hoje ia começar bem. Adoro quartas-feiras.


-------