23.10.05

lock and load



* via ondas curtas: reuniões diárias laboratório. grupo mineiro autodenominado "A Vassoura de Deus" articula ciberintervenção em massa -- operação "O papa é pop-up". meta: moralização subliminar da rede e seus usuários. meios: cybersquatting (search&destroy), hackerismo, criação de sites orientados e os biblogs -- blogs bíblicos, disseminação ampla de contra-informações, derrame de hiperdocumentos e links pró-neo-evangelização, arregimentação global de voluntários anônimos p/ agitprop nômade: os "terroristas de maria", guerrilha virtual: franco-atiradores de spams/wide-range virus/junk mail/info-spy, gerar confusão/onicrise de confiabilidade, desideologização, infiltração de fóruns e outros locais de encontros públicos... não consegui mais decodificar. a casa se encheu de parentes gritando, solicitando. tranquei a porta do quarto e fui pro churrasco. suando.

* é, a filosofia do "lock and load" prevaleceu. a galera quer ter o direito de se defender matando rápido e sem contato físico.

* livro é toda publicação com um mínimo de 49 páginas (UNESCO)

* pobresse obrige

* eu não me importo de A. ter um desejo obsessivo-compulsivo de beijar as maçanetas lá de casa. mas ela podia pelo menos não usar batom?

* o povo brasileiro custa a entender o que os governos não se cansam de explicar: ora, primeiro é preciso gerar a riqueza, só depois é que se pode distribuí-la. tchan.

* RELEMINSKI: Me enterrem com os leninistas/Na vala comum dos materialistas/ Onde jazem aqueles/ Que a utopia corrompeu

* vamos foder sim, Eulália, logo mais (Hilda Hilst)

* filhinha, por que a cadeira de balanço da mamãe não balança mais?

* minha CPU tem ruído de ovos fervendo na panela

* os 3 filhos de Francisco: o melhor post do ano

* Quem é Beta, Nelson?

* falando em Nelson, lembrei do Bob: Sou xerife, sou filha de vaqueiro/fui nascida, fui criada no sertão/pego bala, solto bala/lasco bala/e na falta da bala eu dou tiro de feijão

* consolo: se até o roteiro de Rambo I levou 10 anos para ser escrito...

* não dá pra traduzir: de manhã, aquele sorriso maior que o Abaeté/ à noite, um grip demolidor/ meu coração saiu pelas costas

* o que é mais antigo, o dia ou a noite?

* tudo que se torna realidade não é mais amor (mandamento do amor cortês, séc. 12)

* ela sofre tão bem...

* LIVRO NÃO SE EMPRESTA. A CASA É SUA. VENHA LER AQUI. (lembrete afixado numa estante da residência de Mário de Andrade)

* soneto travado: "Ó Minhocas verdes do monte Pascoal..."

* geladeira cheia/libido vazia, libido abarrotada/geladeira vazia. C. tinha problemas para equilibrar a economia doméstica com a economia psíquica. eu engordava e emagrecia, emagrecia e engordava.

* é pagando que se recebe

* só os sovinas condenam sinceramente o sexo por dinheiro, já reparou?

* bem-aventurados os que têm sono, porque breve adormecerão

* tenho tentado viver numa torre de marfim, mas sempre uma maré de merda lhe bate nas paredes para fazê-la desabar (Flaubert)

* quanto de mole forma o duro?

* mortos os mortos pareciam, e os livros,/livros; melhor não viu quem/ verdadeiros os viu, que eu que/ só os vi figurativos

* o poeta novo chama de não-coisa o que o poeta velho chama de intangível

* e não me convidem mais para tertúlias. todas não passam de choldras. nem os alcoóis compensam

* Vén y sabrás al grande fin que aspiro/antes que el tiempo muera em nuestros brazos (González Lanuza)



-----------