7.9.04

O que você não pode fazer porque é casado?

(breve amostra)

Você não pode:

. sair de casa sem dizer aonde está indo.
. deixar de dizer a que horas vai voltar.
. sair quando o outro prefere ficar em casa.
. ir a festas sozinho.
. sair só por sair.
. planejar nada sem consultar o outro, particularmente à noite e nos fins de semana.
. ser um porcalhão.
. deixar pela casa seus livros, lenços de papel, sapatos, maquiagem, correspondência, roupas íntimas, trabalho, material de costura ou pornografia.
. fumar, ou fumar dentro de casa, ou deixar cigarros em xícaras.
. amontoar mais quinquilharias do que o outro acha suportável.
. deixar os pratos para lavar depois, ou lavá-los mal, beber direto da garrafa, fazer farelo sem limpá-los.
. acumular coisas que você acha que pode usar um dia se o outro acha que você não vai usar.
. jogar roupas úmidas no cesto de roupa suja.
. ter uma mesa confortável porque ela não combina com a decoração.
. deixar de perceber se a casa está arrumada ou bagunçada.
. contratar uma faxineira, porque seu parceiro é socialista e não consegue conviver com a idéia, ou porque o outro acha que não poderão pagar, embora você tenha feito as contas.
. deixar a tampa da privada aberta.
. deixar coisas ensangüentadas no cesto de lixo do banheiro.
. deixar produtos de higiene íntima feminina à vista.
. lavar suas mãos sujas na pia da cozinha.
. colocar o rolo de papel higiênico no suporte "voltado para baixo".
. deixar de prestar atenção ao que você simplesmente ignora: os pêlos de seu nariz, os pêlos da axila, as unhas dos pés.
. deixar de fazer a cama, ou deixar de expressar apreciação quando o outro faz a cama.
. dormir separado, ir para a cama em horários diferentes, cair no sono no sofá sem acordar para ir para a cama, comer na cama, sair da cama logo depois do sexo, ter insônia sem passar por um interrogatório sobre o que realmente está te aborrecendo, aumentar o ar-condicionado do jeito que quer, dormir tarde se o outro tem que acordar cedo.
. ver novelas sem se divertir com elas, assistir pornografia, se isolar patologicamente nos esportes mesmo que esta seja a única forma de liberar a ansiedade, ouvir Bob Dylan nem outros excessos de sua juventude, sair para jogar fliperama, fumar maconha, beber de dia ou nos fins de semana, tirar sonecas quando o outro está em casa porque o parceiro acha que o tempo livre deve ser compartilhado, trabalhar quando devia estar relaxando, passar tempo demais no computador (e fique longe das salas de chat!), ter paqueras por e-mail mesmo que sejam inocentes, jogar paciência no computador porque os cliques deixam o outro maluco.
. conversar ao telefone quando estão em casa trabalhando, ser mal-educado com as pessoas que telefonam para o parceiro, falar ao telefone quando o outro está no quarto sem que o outro comente a conversa ou tente falar com você ao mesmo tempo, seu melhor amigo não pode ligar depois das dez.
. deixar de prestar atenção à presença do outro, ser impulsivo, ensimesmado ou distraído, assumir riscos, a menos que sejam riscos com os quais o outro concordou, dar o fora do trabalho nem se demitir de repente, tomar decisões profissionais unilaterais, nem trocar de emprego sem discussões e negociações intensas, fazer grandes compras sozinho, nem gastar dinheiro em coisas que o outro considera supérfluo, nem pode torrar dinheiro só porque está de mau humor, e não pode ficar de mau humor sem explicar por quê. Você não pode ter segredos - sobre dinheiro ou qualquer outra coisa.
. comer o que quer, deixar de fazer as refeições, deixar de preferir comer o que o outro cozinhou, sair de sua dieta, comer alho porque o outro não agüenta o cheiro, comer manteiga se o outro está monitorando seu colesterol, assoar o nariz à mesa, ler o jornal às refeições, comer coisas que lhe dão gases ou fazer piadas sobre os gases.
. usar o "tom de voz errado", se repetir, saber de coisas que o outro não sabe ou dar a impressão de que está exibindo seu conhecimento, comemorar demais suas realizações particularmente se o parceiro é menos bem-sucedido, pedir ajuda e depois criticar o modo da ajuda, ser simplista mesmo quando as coisas são simples, ter o riso errado: alto, explosivo demais, inadequado demais, bobo demais, falar "xereca", fazer piadas com tamanho de pênis ou rir quando os outros fazem.
. dizer o que pensa da família do outro, comparar o outro com qualquer membro de sua família, expressar ironia inadequada sobre alguma coisa que o outro leva a sério, chamar um faz-tudo para consertar alguma coisa se o outro se considera "habilidoso", deixar de dar apoio mesmo quando o parceiro faz alguma coisa insuportável, analisar a cinematografia de um filme que comove o outro, fazer uma piada que o outro possa interpretar como inconscientemente dirigida a ele.
. falar de relacionamentos passados, deixar de falar de relacionamentos passados, dizer nada que deixe o outro consciente demais de sua incompetência ou suas falhas, questionar o autoconhecimento do outro ou a interpretação que o outro dá a uma determinada situação, ter amigos que gostem mais de um do que do outro, ter amigos de quem um de vocês goste mais do que o outro, ser grosseiro com as visitas, sair de casa quando as visitas estão presentes, falar de sua depressão em público, ignorar o parceiro quando saem, ser encantador demais em público especialmente com pessoas do sexo oposto (ou do mesmo sexo, quando aplicável), conversar com pessoas que fazem o parceiro se sentir inseguro ou ameaçado, fazer social com seus ex mesmo que você jure que tudo acabou, transgredir os padrões de franqueza que o outro acha adequado em situações sociais, deixar de ter o grau de informalidade do outro, deixar de rir das piadas do outro em público.
. vestir roupas que não combinam, usar roupas mal ajambradas em casa sem ouvir algum tipo de comentário, dormir com a camiseta que tem desde a faculdade, comprar roupas sozinho se o outro não confia no seu gosto, sair de casa sem passar por uma inspeção, usar alguma coisa que te deixe sexy demais (ou atarracado demais, ou que não seja adequada para a idade), estar mais arrumado que o outro.
. beber mais que a quantidade x quando saem juntos, beber sem que o outro conte seus drinques, deixar de "se entrosar", dançar se o outro te acha péssimo dançarino, sair de um lugar antes que o outro esteja pronto para ir, esquecer coisas e depois voltar em casa para pegá-las depois que a porta foi fechada, dirigir rápido demais ou mais rápido do que o outro define como rápido, colar na traseira do outro carro ou buzinar, criticar o modo como o outro dirige, sinaliza ou troca de pista, ficar irritado quando dirige, nem xingar outros motoristas, ouvir rádio no carro.

É assim que se obtém amor.


Laura Kipnis, no livro Against Love, 2003.