11.7.04

Seqüelada


Eu sou uma infeliz mesmo. Só pode ser. Noite de domingo, um frio úmido subindo pelos ossos, faço o balanço da minha semana. Eu não fui na Flip, não fui à festa de formatura de Yara Baumgart para ver Hebe vestida à PUC, não viajei com Malu Mader para Fernando de Noronha, Sidney Magal finge que não me conhece, Marcos Palmeira não tirou minha virgindade, não morri com Marlon Brando, não posei nua, não fiz lipo pró-cardíaca, a Veja não publicou meu depoimento sobre dietas, meu tailleur mofou, não consegui o telefone do Paulinho Vilhena, e até o Suplicy não está mais disponível, não fui convidada para o entourage de Paulo Coelho na Colômbia, e o bêbado da esquina me disse ontem que eu "tô na moda", uma forma educada de me chamar de baranga. É, eu definitivamente perdi meu toque de classe. Mas já houve dias melhores, dias em que eu não precisava consultar a Farmácia de Pensamentos para sair deste baixo-astral. Sniff...