9.7.04

Na lápide branca de Teu túmulo
Florescem as flores brancas da vida.
Tantos anos já sem Ti.
E que anos?

Na lápide branca de Teu túmulo
Há tantos anos fechada,
Surgiu uma espécie de sombra,
A de tua morte incompreensível.

Na lápide branca de Teu túmulo
Ó minha Mãe, Amor que se foi,
Em sinal de ternura filial
Esta simples oração: Repousa eternamente em paz.



Karol Wojtyla, em poema que fez aos 19 anos, dedicado à mãe, muito antes de se transformar em João Paulo II. O sr. Karol Wojtyla em sua juventude foi poeta, ator e queria ser filólogo. Durante a Segunda Guerra Mundial, estudava e orava com afinco, enquanto a Polônia, os poloneses e a cultura polonesa eram dizimados pelos nazistas. Entrar para a Resistência nunca esteve em seus planos. Mas o trono de São Pedro, sim.