27.4.04



Meu amigo confortavelmente instalado na poltrona abre uma cerveja e me fala baixinho detalhes do turbocapitalismo. Eu estou com sono, mas ele está se coçando por um debate e ainda não deixou clara sua posição. Aquela aparente hostilidade ao capitalismo pode ter raízes na esquerda, na direita, e até na terceira via. Ainda não decidi qual é o caso dele. Não me divirto mais com essas coisas. Com o computador ligado, olho alternadamente para ele e a tela congelada. Por dentro, fico penteando um caroço de manga sem que ele perceba. Eu não gosto de desapontar um amigo.