3.7.03

Hoje dobro origamis em vez de papelotes de cocaína. Penso globalmente, ajo localmente. Meus amigos acreditam no socialismo de mercado em nome da sinergia. Eu acho que sinergia é um eufemismo de monopólio que é um eufemismo de uniformidade que é um eufemismo de censura embrulhados na minha síndrome de pânico. Tudo isso eu sei por best-sellers que as pessoas não lêem, pseudo-literatura pró-globalização. Procuro livrarias -- lixo encadernado -- pelas madrugadas. Oui c'est Paris. Non c'est Leblon. Abro garrafas. Não sei explicar. Certas coisas, vários dias, noites longas, voltas pela casa, quando tudo começou. Eu lavo a minha louça sozinha e sei pressentir ressentimentos. Esvazio gavetas, não vejo motivos. Falo em voz baixa. As mulheres têm trauma de pia? Salvem-nos quem puder. Anoréxicas, contra-anoréxicas. A sabotagem gramatical das ficções freudianas. Quem se descolará de mim e passará a me tratar como sombra?