19.7.03

Anotações de aula


Neurose= desorganização simbólica. Recalque= defesa do psiquismo contra as demandas do princípio do prazer. O neurótico adoece de nostalgia (comprar sem falta "Suíte p/ Piano de Brinquedo"). Seio materno arcaico ( devo tocar?). Sexualidade não são só as práticas sexuais mas a representação do desejo (hum, Freud). O próprio desejo se desrealiza c/ a aproximação do objeto (passar na farmácia p/ trocar protetor solar c/cheiro de azeite). Só o neurótico resolve o recalque via sublimação (papinho chato, programão). Diferença entre neurótico e utopista (essa eu quero ver). Discutir pq as imagens se sobrepõem às palavras (think globally, fuck locally). Proposta de debate: "Se algo cheira mal, tampe" (Confúcio, ahrá). "A literatura é algo p/ ser observado, um descanso, um pensamento, uma marca, não um campo de análise" (Foucault? MEU CORPO NÃO É OBJETO DO MEU EGO, NÃO VIVE P/SATISFAZER O MEU ORGULHO, MAS P/ME DAR A ALEGRIA E SATISFAÇÃO DO CORPO VIVO). (Enquanto eles discutem eu penso em destituir esta classe e eleger uma nova, nunca ouvi tanta bobagem ao mesmo tempo, o q estou fazendo aqui?, eu nunca quis ser professora, deixa eu olhar pras paredes, eles são jovens, eles acreditam no retorno espiritual do investimento, a gramática do mercado, eles não pensam em apanhar moscas, quando eles nasceram eu já tomava Blue Sky, eu já sabia que a vida se paga com a morte, que as idéias são muletas intelectuais, que a psicanálise não passa de egorragia, que os políticos comem no mesmo cocho, que eu não preciso de ninguém para enfeitar o meu bunker caseiro, que qualquer migalha pode me tirar do tédio, que é fácil se desmascarar com quem não tem coragem de fazer o mesmo, que a areia é tudo o que os meus pés tocam daqui ao horizonte, que pilotar o imaginário não precisa de trilhas marcadas, que eu não preciso comprar jornais para saber de mentiras, que a literatura que todo mundo gosta é a literatura lounge, que eu sempre vou ter fome de tudo, que eu tenho fome agora e vou esquentar minha lentilha, onde deixei mesmo o meu potinho de chutney?