10.5.03

Meu professor na oficina literária pediu que elaborássemos um texto de influência seiscentista, e mais não disse. Eu sabia que o seiscentismo vinha antes do setecentismo e depois do quinhentismo, parava por aí. Como não ia pegar bem inventar mais uma desculpa para fugir dali, resolvi ficar e apostar no barroco. Deve ser o barroco, tem de ser o barroco. Eu tinha uma hora para garatujar todas as sandices que me viessem à cabeça com aquele estilo hiperbólico quilométrico. Não era isso o barroco? Que se foda, deve ser. Depois de dar uma última dentada no meu misto quente, segurei firme a folha de papel e com meus dedinhos gordurosos comecei a escrever de uma só tacada: "Assi passava eu o tempo: alegre de todas as cousas, buscando ora umas ora outras, per logares deleitosos, terras fermosas, recantos assossegados e cidades de luzes que endoudecem. Até que um dia o mundo me faltou com o respeito e ergueu seu grande peso contra minhalma delicada. Imbuído de grotesca fenomenalidade, tangeu as cordas do meu destino enquanto eu me distraía e o que se passou em seguida nem o mais extraordinário bardo ou oficioso meirinho seria capaz de relatar. Todas as cores que me eram vívidas, desbotaram. O céu cobriu-se de terra. As montanhas viraram cubículos, e os pássaros caíam como pedras. Seres vivos encapsularam-se em corpos brutos, escolas dividiram-se em celas, sábios transformados em retóricos. Dos lares desabrocharam asilos, da literatura, gramática."
Escrevi mais umas duas dúzias de linhas prolixas no mesmo tom, recheei com uma "boca lacrimosa" aqui, uma "brisa balsâmica" ali, temperando tudo com uma "ode degenerada", e dei por concluído o meu exercício. Fui a primeira a entregar o meu trabalho. Minha vontade foi de sair correndo, mas o combinado era esperar até que todos tivessem acabado. Voltei para o meu lugar e fui procurar alguma coisa para fazer dentro da minha bolsa. Palavras cruzadas pega bem? Se eu começar a lixar unha aqui, vão me chamar de fútil. Deixa ver... Retocar a maquiagem nem pensar. Eu paguei muito caro por esse curso para me chamarem de descerebrada. Puta merda, cadê aquele livrinho do Rilke que eu trouxe para impressionar o professor? Como essa gente demora para acabar. Devem estar achando mais difícil do que eu. Eu acho que mandei bem. Fiquei um pouco nervosa no começo mas depois me soltei. É sempre assim quando a gente escreve, não é não? A minha sorte é que, enquanto escrevia, me lembrei de que uma das características básicas do barroquismo é a atrofia de forma e conteúdo. Ou seria hipertrofia? Hiii.