26.3.03

Kaváfis


As janelas

Nestes quartos sombrios, os dias de estupor
que eu passo, a procurar em vão janelas por
toda parte. Que alívio não seria
uma janela aberta à minha frente.
Mas não as há, ou não posso achá-las. Seja como for,
melhor talvez não ter janelas ao dispor.
Talvez a luz trouxesse dores mais pungentes.
Quem sabe as novas coisas que não mostraria.

-