26.3.03

Acordei cedo para dar uma caminhada sozinha. O jardim está vazio e os passarinhos dividem comigo os contornos das calçadas. Eu devia estar contente pois venho emagrecendo espontaneamente sem precisar de dietas rígidas ou exercícios. Com o passar dos dias consigo ver meu corpo por inteiro refletido em superfícies cada vez menores: monitores de TV, copos de água, lentes de óculos e nas poças de chuva sob o banco no qual me sento para descansar.
Antes eu dividia este banco com meus amigos, mas agora o telefone já não toca mais como antigamente. O que ouço são portas que se abrem e fecham com cuidado, vozes abafadas e passos de pessoas indo e vindo pelos cômodos da casa.
Meu cabelo começou a cair, fio por fio, até restarem dois que eu tive de arrancar para não atrapalhar a peruca.
A peruca faz sombra no papel da carta que estou lhe escrevendo. Mas não me importo porque sei de cor o que devo dizer. Hoje tenho 25 quilos, nenhum cabelo e é domingo. Aguardo ansiosamente a sua visita.