6.1.03

Vale-tudo literário



Como eu previa, mais cedo do que se imagina as editoras estarão lançando coletâneas de e-mails de escritores famosos. Para quem se choca com a invasão de privacidade de editores que publicam post-mortem cartas íntimas e esboços de textos de qualidade duvidosa sem a prévia autorização de seus autores, será um prato cheio. Numa época em que as bienais de artes plásticas expõem como ready-made cuecas e tênis sujos, não sei por que tanto alarde. Eu mesma já estou cá organizando minhas agendas velhas, meus recados de secretária eletrônica, meus postais, minhas cartas amarelecidas da era pré-internet, meus telegramas, minhas receitas culinárias, contas de supermercado, declarações de imposto de renda, bilhetes domésticos, post-it de geladeira, promissórias, listas de afazeres profissionais, receituários médicos, radiografias, recibos em geral, notas fiscais, contas de luz e telefone, minha coleção de bulas de remédio, minhas contas penduradas no boteco da esquina, meus vales-transporte. E por que não? Publique-se tudo! Ora, pinóias, afinal minha vidinha também é arte. Waaal.