14.11.02

São minhas as ruas que dão na praia


e o sono das manhãs que dão no mar.


São meus a areia o barco e o vazio dentro do barco.


São meus o mar e o vazio dentro do mar


em que mergulho sem qualquer vestígio de sangue.